G.R.C.E.S. (Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba)

Embaixada do Morro

Fundação: 01/01/1944
Cores: Vermelho e Branco
Títulos: 2002

 

    

     Apesar das notícias diárias dos acontecimentos da "Segunda Guerra Mundial" que se desenrolava na Europa, Norte-Africano e Oceano Pacífico, a cidade de Guaratinguetá vivia um período de tranqüilidade e de muitos festejos. As comemorações típicas, com suas datas rigorosamente marcadas, transcorriam-se normalmente, inclusive no bairro da Pedreira, e um exemplo desse fato era a Tradicional Dança do Jongo, uma das inúmeras atrações da Festa de Santa Cruz da Madalena.

     Ainda na mesma época, impreterivelmente nos fins de semana, o samba amanhecia "quente" no popular Bar do Totó, Miranda, na Pedreira, e terminava no Alto de São João, o ponto mais alto do Morro. Durante os dias de carnaval, diversas agremiações carnavalescas dirigiam-se ao centro da cidade para divertir o público, tocando e cantando as suas marchinhas. Dentre os Blocos e Cordões, destacavam-se: Os Tangarás, Flor de Abacate, Vai Quebrar, Tesouras, Flor da Avenida, Alecrim de Bronze e outros.

     Quase todos os bairros, portanto, tinham os seus representantes nos festejos de Momo. Faltava a Pedreira e o Alto das Almas. Assim, um grupo de moradores, num momento de inspiração, decidiu pela criação de uma agremiação que fosse a legítima representante do samba na comunidade, Criaram, então, o Bloco Carnavalesco Embaixada do Morro, ou seja, a residência dos mais altos representantes do samba no Morro, os imponentes "Embaixadores" . Em função da guerra, a palavra Embaixada era utilizada com freqüência nos noticiários de rádio e jornal.

     Os fundadores foram José de Oliveira Osório (Zezinho Terra-Boa), José Vieira dos Santos (Pel) , José Galvão (Pinduca), Eduardo Leite (Dada), João Filinto e Paulo dos Santos (Dorly). Criaram profundas raízes no Morro e, logo no ano seguinte, a Embaixada do Morro já fazia seu primeiro desfile.

     No início dos anos 50, a Prefeitura ofereceu ao bloco carnavalesco um terreno para a sua sede própria, Após a construção, em função de decisões políticas, o prédio passou para os domínios do Pedreira Futebol Clube. Porém, os ensaios e os bailes da agremiação continuaram sendo realizados na "Sedinha" do referido time. O futebol e o samba continuaram unidos, dando muitos títulos aos bairros.

     A embaixada do Morro firmava-se, ano a no, como um dos blocos mais fortes de Guará. Ao som das marchinhas de sucesso, a entidade desfilava todos os anos com temas e fantasias marcantes, como : Toureiros, Mexicanos, Ciganos, "Bat-Masterson", Marinheiros, etc. Os anos 60 foram decisivos para a história da escola, pois foi uma década marcada por profundas e radicais mudanças. Antigas agremiações carnavalescas haviam desaparecido, dando lugar a outros concorrentes maiores e mais fortes, como "Alegria e nada Mais" e "Bonecos Cobiçados".

     A Embaixada do Morro também crescia em adeptos e criatividade. Começaram a aparecer os primeiros carros alegóricos, a ter participação de crianças e mulheres; até então, discriminados por desfilarem em entidades carnavalescas.

     Em 1965, a agremiação passou de Bloco Carnavalesco a Escola de Samba, com samba próprio, e iniciava-se a exclusão dos instrumentos de sopro da bateria. Em 1969, ao completar 25 anos de existência, o G.R.C.E.S. Embaixada do Morro desfilava nas ruas centrais, com toda estrutura de uma Escola de Samba, com o enredo: "Visconde de Guaratinguetá", assumindo o "Vermelho e Branco" como suas cores oficiais.

     Até então, não havia concurso oficial. A premiação era feira por voto popular e por simpatizantes. A partir de 1970, os desfiles foram transferidos para a Avenida Presidente Vargas, tendo início o Concurso Oficial das Escolas de Samba, promovido pela Prefeitura Municipal. E, por quatro consecutivos anos, a Embaixada do Morro sagrou-se Campeã dos Carnavais, obtendo, então, o título único e até hoje inédito, de Tetracampeã. Os contatos com entidades carnavalescas do Rio de Janeiro se identificaram e, pela semelhança das cores, sofreu marcante influência da Escola de Samba Acadêmicos do Salgueiro.

     Os anos seguintes foram marcados pelo surgimento de novas agremiações carnavalescas, As disputas se intensificaram, contribuindo para a melhoria da qualidade das escolas de samba. O nome de Guaratinguetá e o seu Carnaval começaram a ser divulgados nos diversos calendários turísticos como visita obrigatória.

     A construção de sua Quadra de Ensaios, em 1978, em ponto estratégico do Morro, teve papel fundamental para o bairro como efetivo ponto de encontro dos moradores. Enfim, bairro e moradores com identidade única: "Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Embaixada do Morro".

     Em 1981, depois de cinco anos sem títulos, a Embaixada do Morro realizou aquele que é considerado um de seus maiores desfiles: "O Ano da Emília" como ficou conhecido, trazendo um enredo de Monteiro Lobato e a certeza do título de campeã. Outras conquistas vieram somar ao invejável cartel de 11 títulos e 12 vice-campeonatos, mostrando que a escola cresceu com o Carnaval de Guaratinguetá.

     Pela tradição do puro samba, "Embaixada do Morro" tem o maior número de torcedores e simpatizantes de Guaratinguetá. A Ala das Baianas, que sempre contou com as presenças de "Nê e Nhá", integrantes da data de fundação da escola, constitui um atrativo especial no desfiles da agremiação; assim como a Ala das Crianças, contribuindo na formação dos carnavalescos do futuro.

     O emblema da agremiação é a coroa real, dourada, rodeada por ramos de café e decorada por quatro estrelas (tetracampeã). É a única agremiação que participou de todos os carnavais oficiais, contribuindo, inclusive, para a fundação de outras entidades em Guaratinguetá em Guaratinguetá e cidades vizinhas.

 


Carnavais

Ano Enredo Classif. Grupo Letra MP3
1966   1    
1967   1    
1968   1    
1969   1    
1970 Descobrimento do Brasil 1    
1971 Carlos Gomes 1    
1972 Zumbi dos Palmares 1    
1973 Bahia e Suas Tradições 1    
1974 Meu Brasil Mulato 1    
1975 Carnaval, Festa do Povo 1    
1976 Lendas e Mistérios da Amazônia 1    
1977 Mitologia e História de Minas Gerais 1    
1978 Violão: A História da Música Popular Brasileira 1 Letra 1978  
1979 Somos Filhos de Canaã, De Sidon, A Cidade do Rei 1    
1980 Alforria, Um Ideal de Liberdade 1 Letra 1980  
1981 Os Doze Trabalhos de Hércules 1 Letra 1981  
1982 O Bailar da Lua no Esplendor da Noite 1 Letra 1982  
1983 A Arca de Noé 1 Letra 1983  
1984 Guaratinguetá, Desculpe a Demora 1 Letra 1984  
1985 Das Raízes à Senzala, à Porta Bandeira e ao Mestre Sala 1 Letra 1985  
1986 Abre-te Sésamo Que Eu Quero Passar 1 Letra 1986  
1987 Pra Não Dizer Que Não Falamos de Flores 1    
1988 Tem Gente Que Não Gosta 1    
1989 Ogoiama, O Rio do Amor 1    
1990 Liberdade, Sonho, Ilusão ou Realidade 1 Letra 1990  
1991 Deuses, Sábios e Doutrinas 1    
1992 Desenredo 1    
1993 Não Houve Desfile Oficial - - - -
1994 No Princípio Era o Morro 1 Letra 1994  
1995 Eu Tenho a Força 1 Letra 1995  
1996 Vermelho da Paixão e da Sedução 1 Letra 1996  
1997 Não Houve Desfile Oficial - - - -
1998 Liso, Lesado e Louco 1 Letra 1998  
1999 A Fé Não Costuma Falhar 1 Letra 1999  
2000 A Escola de Samba Não Desfilou - - - -
2001 Transbordando Esperança e Axé, a Virada é com Samba no Pé! 1 Letra 2001  
2002 Dos bons filhos da Pedreira, a Bonfiglio de Oliveira 1 Letra 2002  
2003 Guaratinguetá Apresenta Cunha Para Ti 1 Letra 2003
2004 Na Química da Vida... Samba, Amor e Artesão Forças da Comunidade 1 Letra 2004
2005 Água, Fonte de Vida... O Sangue do Vale é o Paraíba! 1 Letra 2005  
2006 Santo de Casa Faz Milagre 1 Letra 2006  
2007 De Guaypacaré à Hepacaré... Uma Viagem das Garças Brancas à Terra das Palmeiras Imperiais 1 Letra 2007  

2008

Do Oriente ao Ocidente: Uma Odisséia das Arábias ao Vale Sagrado!

1 Letra 2008  
2009 Da Antiguidade à Modernidade, Eis o Papel Transformando a Humanidade! 1 Letra 2009  
2010 Não Houve Desfile Oficial - - - -
2011 E a moda virou samba nos versos de Noel 1    
2012 No espelho dos teus lábios, te contemplo e vejo... Quem sou eu? O Beijo! 1    
2013 Não Houve Desfile Oficial - - - -
2014 Pelos poderes do samba 1    
2015 Não Houve Desfile Oficial - - - -
2016 Não Houve Desfile Oficial - - - -